1993 06 DEZEMBRO – 2018: 25 ANOS DA CRIAÇÃO DA DIOCESE

PDFVersão para impressãoEnviar por E-mail
06Dez2018
| Escrito por Assis

 

1993 06 DEZEMBRO – 2018: 25 ANOS DA CRIAÇÃO DA DIOCESE

Homilia de Dom Frarncisco Lerma

LOUVOR – AGRADECIMENTO - CONVERSÃO E MISSÃO

Com esta soleníssima celebração queremos dar, a Igreja Mãe de todas as Igrejas da Diocese, a nossa Catedral, duas acções litúrgicas, de que carece e que lhe pertencem por Direito, a norma das Leis da Igreja: a “DEDICAÇÂO DA IGREJA” e a “CONSAGRAÇÃO DO ALTAR”.

Dia imemorial que, a partir de hoje, deve ser festejado em toda a Diocese, não apenas como aniversário da criação da Diocese, mas, sobretudo, como a DEDICAÇÂO DA IGREJA, seguindo as normas litúrgicas.

Conduzidos e iluminados pela Palavra de Deus que acaba de ser proclamada nesta ASSEMBLEIA LITÚRGICA, façamos a nossa reflecção.

Ev. Mt, 16, 13-19

A IGREJA é o povo de Deus, formado de PEDRAS VIVAS, nós os baptizados, construídos SOBRE O ALICERCE dos Apóstolos, e que tem como PEDRA ANGULAR CRISTO.

Desde os tempos muito antigos, chamou-se também IGREJA ao lugar onde a comunidade cristã se reúne. Neste sentido a Igreja é o lugar onde a comunidade cristã se reúne para a celebração dos mistérios da nossa fé, os Sacramentos, as várias celebrações, a oração, e outros actos de piedade. É lugar sagrado por excelência. Em consequência, este edifício merece todo o respeito, devemos trata-lo da melhor maneira, ordem , limpeza e amor, pois é o lugar sagrado

Pelo facto de ser um edifício visível, ESTA CASA constitui um sinal todo ele especial da Igreja que peregrina na terra e uma imagem da Igreja que já habita nos céus..

Desde os tempos antigos

Este edifício, que chamamos IGREJA é IMAGEM da Igreja, Povo de Deus edificado de pedras vivas. E o ALTAR é SINAL de CRISTO.

A liturgia evidencia claramente o significado da Igreja como edifício: sinal visível da única e verdadeira IGREJA DE CRISTO: isto +e, o seu Corpo pessoal, cujos membros somos todos os baptizados e cuja cabeça é o próprio Cristo,

Na 1ª leitura (1 Reis 8,22-23.27), o Rei Salomão ae interroga coo é possível que Deus possa habitar na terra, num edifício construído pelos homens, enquanto os Céus não o podem conter pois Ele é o seu Criador? Deus escuta a nossa oração cada vez que a assembleia se reúne em seu nome.

Na 2ª leitura (1 Pe. 2,4-9) Pedro lembra as primeiras comunidades cristã, e hoje a todos nós, que Cristo é a PEDRA ANGULAR , rejeitada pelos Homens, e nós próprios, os baptizados, somos as PEDRAS VIVAS para a construção de um edifício espiritual.

Cristo ressuscitado é a grande pedra viva do novo tempo, do qual cada baptizado é chamado a formar parte:

  1. a)UNIDOS À PEDRA VIVA ANGULAR, (= união com Cristo);
  2. b)UNIDOS entre nós: junto com as outras pedras vivas: UNIDOS COM OS IRMÃOS
  3. c)PARA O BEM DE TODOS: Uma casa aberta a todos os homens, sem descriminação, para celebrarmos o verdadeiro culto da verdade , da justiça, da Paz, do Perdão e do amor fraterno

No Evangelho (Mt, 16, 13-19):

- Zauqeu procura ver o Senhor no meio da multidão;

-O Senhor visita a sua Casa: é a casa do perdão, da generosidade, do acolhimento, é acsa de Deus e do seu Povo.

Assim devemos ser nós, Casa de Deus no meio do Povo.

Que esta Igreja que hoje “DEDICAMOS”, seja sempre imagem desta Igreja formada de Pedras vivas, alicerçada sobre os Apóstolos – a sua doutrina e o testemunho que nos deixaram,. E assim, como rezamos na Oração do nosso Jubileu, renovarmos o compromisso de testemunhar o evangelho e anuncia-lo a todos os homens e em todos os lugares.