CARTA DO BISPO PARA O ETHXEKO/FAMILIA JANEIRO – MARÇO 2019

PDFVersão para impressãoEnviar por E-mail
18Mar2019
Actualizado em 18 Março 2019 | Escrito por Assis

 

alt

CARTA DO BISPO PARA O ETHXEKO/FAMILIA JANEIRO – MARÇO 2019

A Diocese de Gurúè em “missão”: baptizados e enviados”

Caríssimos Diocesanos: fiéis às orientações do Papa Francisco, escolhemos para esta ano pastoral de 2019, o ANO EXTRAORDINÀRIO MISSIONÁRIO. É para todos nós a linha de accão que deve estar presente nos programas e actividades das paróquias e comunidades e das próprias Congregações nas suas comunidades locais e casas de Formação.

No logotipo do nosso recente Jubileu, a última das quatro palavras chaves era a “MISSÃO”, para nos lembrar o caminho que a Diocese deve percorrer logo a seguir às celebrações jubilares, isto é: A Diocese de Gurúè em estado Missão para consolidar a Igreja local, para anunciar o Evangelho aos que ainda não o conhecem, para procurar a “ovelha perdida” - os que abandonaram a nossas comunidades e a vida cristã”, para nos comprometermos com maior empenho com as causas da Justiça, da Reconciliação e da Paz, para consolar os afligidos e os que padecem quaisquer sofrimento.

O Papa FRANCISCO, na Carta que enviou a toda a Igreja e que neste ETHXEKO/FAMILIA é comentada como o “tema do mês (pp. 5-6), marcou o caminho que devemos seguir e indicou como exemplo algumas actividades que devemos ter em conta nos programas Pastorais das Paróquias para este Ano Extraordinário Missionário.

  1. Abertura. Vos lembro especialmente: em todas as Paróquias se deve escolher uma celebração própria de abertura deste Ano Extraordinário. E os Sacerdotes, aproveitando as vistas às Comunidades, aproveitem para falar aos cristãos do significado deste tema, para todos conhecerem e serem sensibilizados e assumirem a “Missão” como compromisso essencial dos baptizados: Se és baptizado, és missionário.

     

  2. Formação. Nos encontros do catecumenado, da catequese de preparação para a 1ª Comunhão e para o Crisma, nos encontros da Infância Missionária e dos Jovens, e os de preparação para o Matrimónio, o tema do discípulo de Jesus como baptizado e como missionário deve ser apresentado e estudado aos catequizandos, seja qual for a sua idade e condição.

  3. Oração. Além de incentivar a oração pessoal, também se devem organizar momentos de oração apropriados com a intenções do Ano Extraordinário Missionário.

  4.  

  5. Apostolado. Cada grupo de catequese e cada movimento, se empenhe em actividades apostólicas missionárias: visitar os doentes, as famílias em dificuldade, os que se afastaram, e os que se encontrem em qualquer necessidade ou abandono.

     

  6. Vocação. Esta Ano Extraordinário Missionário é uma oportunidade muito importante para renovar, organizar, fortalecer e qualificar a Pastoral Vocacional – os grupos dos vocacionados- preparado o coração dos jovens para acolher o chamamento de Deus para as vocações sacerdotais, missionários e à vida consagrada e apostólica.

     

    Esperamos que, com estas e outras actividades, todos compreendamos o sentido profundo e os objectivos que o Papa quis tingir com esta iniciativa para consolidar a Igreja e para que a Boa Nova de Jesus chegue a todos os nossos irmãos que ainda não a conhecem.

     

    Vosso Bispo

    + Francisco Lerma