"NÃO MATARÁS": MENSSAGEM PASCAL DOS BISPOS DE MOÇAMBIQUE

PDFVersão para impressãoEnviar por E-mail
21Mar2016
| Escrito por Assis

 


Mensagem Pascal dos Bispos Católicos de Moçambique

                        Nós, os Bispos Católicos de Moçambique, reunidos em Assembleia extraordinária, no Centro de Nazaré, Beira, aos 17 de Março de 2016, próximos da celebração da Páscoa, que é a passagem de Jesus Cristo da morte à vida, passando pelo sofrimento da sua paixão e cruz, queremos deixar-nos iluminar por esta fonte de esperança.

Com tristeza, temos de reconhecer que, no nosso país, se multiplicam os sinais de paixão e morte:

- Deterioração da tensão político militar;

- Contínuas provocações e escaramuças, que semeiam morte e luto;

- Escalada de criminalidade, violência e raptos;

- Destruição de casas e de outras infra-estruturas sociais e económicas;

- Destabilização do normal curso da vida, comprometendo actividade produtiva e escolar;

- Crescimento do número de famílias em situação de deslocados e refugiados;

- Intensificação e generalização do ambiente de desconfiança, e ódio, e hostilidade;

- Seca, na região Sul, e nas zonas do centro.

- Chuvas intensas, principalmente no Norte do Pais, calamidades que comprometem a produção agrícola, resultando no agravamento da situação de pobreza e fome.

 Mas a Páscoa é a vitória da vida sobre a morte, do perdão sobre a ofensa. Deus abre também para Moçambique o caminho da Páscoa, o caminho da Vida e da Paz.

Por isso, renovamos o nosso apelo, que lançámos, a 10 de Novembro de 2015:

- “O abandono absoluto das armas”;

- “ A retomada imediata do diálogo eficaz, entre as partes em conflito, envolvendo outras forças vivas da sociedade”.

Sejam esses os sinais da nossa escolha irrevogável da Vida.

Sejamos aliados da vida, e não da morte. Obedeçamos todos à palavra da Escritura, que está inscrita nos nossos corações: “Não matarás!

Animados por este mistério de Vida e de Amor, endereçamos às Comunidades Cristãs e a todo o Povo Moçambicano votos de Feliz Páscoa, repleta de Esperança, de Ressurreição e Vida.

Sobre todos invocamos a Luz de Cristo Ressuscitado, o Príncipe da Paz.

 Beira, 17 de Março de 2016
 

+ Dom FRANCISCO CHIMOIO
Arcebispo de Maputo e Presidente da Conferência Episcopal de Moçambique

 

 

PDFVersão para impressãoEnviar por E-mail
16Mar2016
Actualizado em 16 Março 2016 | Escrito por Assis

CANTAREI ETERNAMENTE AS MISERICRDIAS DO SENHOR

Lema do P. Joo maria Haw, fundador das ISJB

A Irm Maria de Lurdes (Maria Helena Clemente Dias) nasceu em Vale de Espinho - Sabugal, a 09 de julho de 1942.

Em maro de 1961 entrou no Instituto das Irms de S. Joo Baptista e de Maria Rainha. Ainda novia foi enviada para Alemanha em 1961 onde fez estudos catequticos e pastorais. A 31 de maio de 1963 fez a sua profisso religiosa.

A seguir sua profisso passou algum tempo na comunidade de Loriga, trabalhando na pastoral e formao de jovens. Integrou a comunidade das Irms da Casa da Rainha do Mundo e aqui fez grande parte da sua caminhada de misso e consagrao sendo Educadora no Lar de jovens ao longo de vrios anos. Muitas foram as educandas que manifestaram a sua amizade durante a sua misso em Moambique e desde h trs anos na sua doena.

Num dos encontros, nesta casa, das antigas educandas uma deu este testemunho: Aqui estou eu para falar em nome de todas as filhas da Irm Lurdes. Sim filhas, a forma carinhosa e sentida com que ela o diz.

A entrega e doao da Irm Maria de Lurdes foi de um extremo dinamismo. No ficou por aqui. Moambique foi a sua grande paixo.

Aqui chegou em 1990. Comeou por integrar a comunidade de Nampula inserindo-se na pastoral da parquia de S.ta Cruz e dedicando-se formao das jovens irms e dando aulas no Seminrio.

Em 1994 integrou a comunidade de Iapala, onde se dedicou pastoral, dinamizou a alfafetizao de adultos, a formao feminina,apoiou apastoral da sade, sobretudo os leprosos e tuberculosos nas comunidades mais afastadas do Centro de sade.

Em 2005 integrou a comunidade que iniciou atividades no Gil-diocese do Guru na Zambzia. Aqui se dedicou a todo o servio pastoral, sobretudo acompanhando a Legio de Maria.

Muitas energias dispensou na ereo do Lar feminino.

Onde havia pobres e necessitados, ai estava ela. Assim vivia feliz. Acolhedora e servial. Com alma de apstolo percorria os caminhos agrestes procurando levar a mensagem de Jesus Cristo, aos que dela se aproximavam. Havia sempre alguma coisa para todos sem nunca se sentir atrapalhada. Por todos ela era admirada nesta sua generosidade e espontaneidade. O seu testemunho foi e acreditamos que vai continuar a ser atrao de seguimento evanglico de Jesus Cristo na Vida de consagrao.

Foi no Gil que a doena a surpreendeu no ano de 2013, altura em que por esse motivo regressou a Portugal.

Foram trs anos de provao que o Senhor lhe enviou. A sua doena galopante foi, por ela, aceite com pacincia e serenidade. No seu grande sofrimento revelava, sempre um sorriso de gratido e carinho para com todos os que a acompanhavam, ou visitavam. Dizia vrias vezes Este o meu purgatrio, e continuava serena. Sempre que uma Irm, familiares ou amigos a visitavam ficava contente e sentia-se estimada.

A Vida da Ir. Maria de Lurdes, neste ano da Misericrdia, ensina-nos a perceber quanto se pode ser til comunidade e aos irmos atravs de uma vida simples, humilde e dedicada.

Em nome da Irms de S. Joo Baptista, quero agradecer a todos aqueles e aquelas que durante a sua doena a acompanharam, nomeadamente, s Irms e especialmente comunidade de Lisboa, e Missionrios de S. Joo Baptista, agradecimento extensivo aos mdicos, enfermeiros e demais profissionais e funcionrios de Sade, includo os o servio Nacional de Ambulncias, por todo o trabalho no sentido de lhe minorarem o sofrimento.

No quero terminar sem agradecer a todos os seus familiares vivos e falecidos. Como dizia algum Os maiores benfeitores das Congregaes religiosas so os familiares dos seus membros.

A minha amizade e gratido a todas as pessoas que, de alguma forma, manifestaram a sua presena amiga para com a nossa querida Ir. Maria de Lurdes e para connosco.

Ir. Maria de Lurdes, Bem-haja pelo seu testemunho amigo e alegre. Permanecer sempre no nosso corao.

Ir. Daniela Amaral

..

(Superiora Provincial)

   

PDFVersão para impressãoEnviar por E-mail
05Mar2016
| Escrito por Assis

PROGRAMAO DIOCESANA PARA O MS DE MARO

01.03.16. Encontro do Sr. Bispo com o Director Distrital de Educao.

02.03.16. Celebrao do 2 Aniversrio do falecimento do Pe. Incio dos Santos.

05.03.16. Conselho Extraordinrio Paroquial na Parquia de S. Paulo de Naburi, Distrito de Pebane.

07 12. Preparao dos Relatrios Econmico e Estatstico para enviar Santa S.

14 -17. Conselho Universitrio da Universidade Catlica de Moambique.

19.03.16: Solenidade de S. Jos, Padroerio do Seminrio Diocesano Propedutico.

20.03.16. Domingo de Ramos. Jornada da Juventude celebrada nas Parquias e Lanamento da Peregrinao Diocesana da Cruz dos Jovens em preparao da Jornada Mundial de Cracvia.

Toda a Semana Santa as Equipas Missionrias das Parquias da Cidade de Gur, do Seminrio Diocesano e de Invinha participam na reza da Liturgia das Horas na Catedral.

22.03.16. Reunio do Conselho de Presbteros e Missa Crismal na Catedral.

24.03.16. Quinta Feira Santa. Celebrao da Eucaristia Ceia do Senhor na Catedral.

25.03.16. Sexta Feira Santa. Via Sacra Solene e Celebrao da Paixo do Senhor na Catedral.

27.03.16. PASCOA DO SENHOR. Viglia Pascal na Catedral presidida pelo Sr. Bispo. Missa do Dia, presidida pelo Bispo na Cadeia Civil de Gur.

 

PDFVersão para impressãoEnviar por E-mail
28Fev2016
| Escrito por Assis

PRIMEIRA VISITA PASTORAL NOVA PARQUIA S. CARLOS LWANGA DE GUR

PRIMEIRA VISITA PASTORAL NOVA PARQUIA S. CARLOS LWANGA DEGUR
25.02.2016. QUINTA FEIRA.

16.00H. Visita ao Ncleo S. Jos. Bairro 1 de Maio.

O Ncleo est formado por 46 famlias que integram 329 cristos.

18.00H. Sede da Parquia. Celebrao da Eucaristia. Missa de abertura da Visita Pastoral, a 1 desde a criao da Parquia em 15 de Maro do ano 2015.

A Parquia S. Carlos Lwanga foi criada por D. Francisco Lerma, Bispo de Gur, em 15 de Maro de 2015, desmembrada das Parquias de N. S. da Conceio de Invinha e de S. Antnio da S Catedral de Gur, sendo seu Proco o Pe. Francesco Bellini, dos Sacerdotes do Corao de Jesus (Dehonianos)

A Parquia esta formada por 5 Zonas Pastorais e 23 comunidades..

26.02.2016. SEXTA FEIRA.


Concentrao na Comunidade de NAKKA

ZONA PASTORAL NANZUA. Comunidades: S. Catarina de Nazua; N.S. da Conceio de Mole; S. Agostinho de Nakutxa; S. Pedro de Nalumi; Mpalakani.

ZONA PASTORAL KOVELA. Comunidades: S. Francisco de Assis de Kovela; S. Tiago de Namaripi; S. Carlos Lwanga de Nualo; N. S. de Ftima de Nakuka.

ZONA PASTORAL MURRIMU. Comundades: N. S. da Conceio de Murrimu; S. Paulo de Ualaka; S. Miguel Arcanjo de Namiruku; S. Pedro de Mualantxemo.

Os crismados foral 217.

Logo a seguir a celebrao, D. Francisco reuniu com o grupo dos jovens das trs Zonas Pastorais.

27.02.2016. SBADO

. Concentrao na comunidade de LUSSA. Bairro Alverca

A ZONA PASTORAL de LUSSA. Est formada por 7 comunidades: N. S. de Ftima de Lussa; S. TiagoMenor de Namakuku; S. Paulo de Namaria; S. Catarina de Malamulo; S. Tiago Maior de Impitxa; S. Miguel Arcanjo de Namuka e N. S. de Ftima de Nakuku.

Os crismados foram 80.

No fim da Celebrao D. Francisco teve um encontro com o Grupo dos Jovens desta Zona Pastoral. Os jovens apresentaram os seus problemas: a falta de uma Escola Secundria, os casamentos prematuras a que so obrigados pelos pais, entre outros.

28.02.2016. DOMINGO.

Concentrao na Sede da Parquia..

ZONA PASTORAL DA SEDE. 2 Comunidades: So Marcos e a prpria Sede..

Os Crismados foram 60.

Encontro com os jovens. O Grupo Juvenil est formado 129 jovens de entre eles 69 raparigas e 60 rapazes.

Os jovens esto formados pelos seguintes grupos: Aclitos, Acolhimento, jornal, ornamentao, carismticos, coral e teatral.

Durante o ano de 2015, tiveram encontros de formao, vrios retiros e reflexes com os pais sobre o tema Como um jovem cristo deve viver na sociedade.

Tiveram actividades: trabalhos aa angariar fundos, fundaram os grupos de jornal, ornamentao e coral; fabricaram tijolos para a construo da Sacristia da Parquia, e fizeram visitas aos doentes. Tambm reflectiram sore a Mensagem do Papa Francisco para a Jornada Mundial da Juventude.

Convvio.

29.02.2016. SEGUNDA FEIRA
D. Francisco reuniu com o Conselho Pastoral Paroquial

   

Pág. 141 de 211